Agility

O que é?

O agility é um desporto canino que nasceu no Reino Unido nos anos 70 e que rapidamente se espalhou para todo o mundo! As primeiras demonstrações de agility foram feitas no bem conhecido CRUFTS, com obstáculos de salto muito semelhantes aos utilizados pelos cavalos, para entreter a audiência.


Mas o que é o agility afinal? É um desporto canino em que a dupla (condutor e cão) têm de percorrer uma pista composta por vários obstáculos (saltos, túneis, slalom, passerelle, pneu, etc.) no mínimo tempo possível e sem cometer faltas (ex: deitar uma vara ao chão; não pisar a zona de contacto, etc.) nem recusas (passar ao lado de um obstáculo que era para fazer), pista esta que é desenhada e estudada ao pormenor por um juiz (nacional ou internacional). Este juiz deve desenhar a pista tendo em consideração a segurança do cão (não pôr abordagens perigosas aos obstáculos) e fazendo-a o mais fluída possível. O agility não é só velocidade! Fazer o bom agility é treinar tecnicamente (ao pormenor) todos os obstáculos; é ensinar o cão a pensar (seguindo a nossa posição corporal e as inúmeras ordens criadas em treino); é ter uma boa relação com o nosso cão! Todo o bom agility exige confiança entre a dupla (condutor e cão) e só assim conseguimos dar e mostrar o nosso melhor! Como qualquer outro desporto, exige muito treino, dedicação e coerência. Se ensinamos uma ordem ao cão, esta tem de ter um significado concreto e não relativo porque se não, como conseguimos que o cão perceba o que queremos? Um bom treino técnico, confiança e coerência trazem resultados!


O que é para mim? Para mim o agility vai muito para além de um desporto canino. O agility é um meio de o condutor (dono ou não) e cão serem um só, “dançando”! Existe o modo agility de treino em que é bom sentir a nossa evolução em cada passo que damos, em cada etapa por que passamos, aprendendo com os nossos erros! Aprendendo a ser melhores condutores e melhores pessoas; a escutar os nossos cães e aprender a adaptar cada treino ao cão que temos. Aprendemos a lidar com frustrações, a ser coordenados, a estar concentrados em todo o nosso corpo e ao mesmo tempo em saber as ordens que temos de dizer, na altura certa!

O agility é também aprender a brincar com o nosso cão e saber quando e onde o devemos recompensar corretamente. Muitas coisas falham durante a carreira do agility porque todos os nossos movimentos importam, todos os segundos importam… Mas se tivermos o “poder” de olhar para o futuro e pensar que todas aquelas horas “perdidas” (ganhas) a treinar vão eventualmente dar resultados, é um grande passo! E quando esse futuro finalmente chegar, olhar para trás vai ser bom, olhar para tudo o que aprendemos com o nosso cão, olhar para o que éramos e comparar e perceber que evoluímos imenso e que agora tudo se tornou mais simples! Claro, existe o modo competição em que naqueles 30/40 segundos temos de mostrar o que andámos a aprender em todos aqueles meses de trabalho árduo! “Agora quando entrar em pista já não sou só eu, o cão e todos os meses de trabalho!” ​

Adiciona-se a dificuldade de ter pessoas a assistir; de ter uma pessoa a ajuizar a nossa prestação; de termos de dar o nosso melhor para acabar a pista da maneira mais perfeita para nós (dupla) possível; de ter um cronómetro a contar todos os segundos desde que o nosso cão passa o primeiro salto até que salte o último, de saber gerir a nossa excitação de entrar com o nosso cão em pista, de deixar a adrenalina percorrer todo o nosso corpo e antes de deixar o cão, respirarmos fundo e pensarmos, “Foi para isto que treinei! Eu confio em mim, no meu cão e no nosso treino! Bora lá!”!


7 visualizações

Posts recentes

Ver tudo